“Questão de honra”, afirma militar envolvido nas buscas de bandidos que invadiram e roubaram casa de tenente da PM

“Questão de honra”, afirma militar envolvido nas buscas de bandidos que invadiram e roubaram casa de tenente da PM

O roubo ocorrido na noite de ontem, quinta-feira, 12, que vitimou um tenente da reserva da Polícia Militar do Acre e seus familiares movimentou o setor da segurança pública em Rio Branco, sobretudo os irmãos de farda do militar, que segundo informações é uma pessoa bastante querida dentro da corporação.

Pelo menos cinco bandidos armados invadiram a casa do Tenente Zumba, como o militar é conhecido na caserna, e o mantiveram junto com a família sob a mira de armas e forte ameaça. Os bandidos levaram vários objetos de valor da casa do militar, inclusive carro, moto e a arma do policial.

Logo após a comunicação do roubo, militares do 5º Batalhão, bem como de grupos especializados da Polícia Militar deram início a uma verdadeira caçada aos bandidos nas imedicações da residência do militar localizada no ramal Belo Horizonte, nas estrada Jarbas Passarinho, próximo ao balneário Chalé Bar.

Por telefone, a reportagem conversou com um dos militares que está participando das buscas aos assaltantes que afirmou que três dos envolvidos no crime já estão identificados e agora trabalham na tentativa de localizar o indivíduos.

“Para nós, policiais militares, é uma questão de honra prendermos esses marginais. Já temos algumas informações importantes e estamos trabalhando para localiza-los. Três já sabemos quem são”, disse o militar.

O policial falou ainda que, “pelo que foi levantado de informações esses caras já estavam monitorando a rotina do tenente, pois já sabiam, por exemplo, onde estava a arma dele”.

A reportagem entrou em contato com a Polícia Civil que cuidará das investigações, por meio de sua assessoria de imprensa, para saber se procede a informação repassada pelo militar de que os autores, ou parte deles, já haviam sido identificados. De acordo com o responsável pela comunicação da Polícia Judiciária “a Polícia Civil está investigando, mas até o momento nada disso foi repassado”.