Será o destino do menino rico do Juruá dormir eternamente com o "inimigo"? 

Será o destino do menino rico do Juruá dormir eternamente com o "inimigo"? 

Bom dia! Boa tarde! Boa noite!

Meus três leitores, vocês gostam de novelas mexicanas? Daquele tipo de folhetim que é um eterno drama repleto de chororô e mimimi? 

Assim vem sendo os quatro anos de governo de Gladson Cameli (PP). Ele passou boa parte de seus quatro anos de mandato reclamando do vice-governador Major Rocha (MDB), mas caminha para viver mais um drama se prevalecer a escolha de Mailza Gomes (PP) para o lugar de Rocha.

A reta final das convenções partidárias do Acre está de tirar o sono de qualquer um. De hora em hora, nos mesmos moldes da tele sena de Silvio Santos, são anunciados nomes de supostos pré-candidatos a vice-governador. Rasteiras, golpes, trança pé e trairagens explícitas dão a tônica deste momento político na Capital Mundial da Economia Sustentável.

Os bastidores fervilham de burburinhos. Um deles gira em torno de alguns e algumas que por um lugar ao sol nesse jogo de poder se fazem de bonzinhos para enganar os incautos. Igual aquela história do sujeito que deu uma de morto para usar o coveiro.

Uma das especulações que surgiram em meio ao caos das articulações para a formação das chapas majoritárias é que a senadora Mailza Gomes poderia ser a vice do governador Gladson Cameli. Uma coisa muito estranha, já que ela enfrentou um verdadeiro cabo de guerra para ser candidata ao Senado.

Num contexto de projeto político, Mailza ganhou um mandato de senadora sem ser uma figura conhecida no Acre. Era apenas a esposa do prefeito James Gomes, do Quinari. Um dos menores municípios do Acre. Mas as circunstâncias a colocaram na hora e lugar certos e a sorte sorriu para ela 

Além do mandato no Senado no lugar de Cameli que virou governador, Mailza ainda ganhou a presidência regional do Progressistas, um dos maiores partidos do Brasil. Tudo isso sem nunca ter tido um voto sequer.

Com um quase prêmio de Mega-Sena deste nível, a suposição é que a senadora deveria ser eternamente grata a Gladson por tantos mimos. Mas não foi bem assim que aconteceu. Tendo vários cargos para os seus seguidores na estrutura de governo, Mailza criou muitas dificuldades para as articulações de alianças propostas por Cameli na pré-campanha.

Chegou a emitir uma nota acusando o seu “benfeitor” de discriminação política feminina. Bateu o pé para devolver o comando do partido a Gladson (que sempre foi visto como dono do PP) e gerou diversos conflitos para ter a garantia de ser candidata ao Senado, gerando um total desgaste com os ‘pré-acertos’ de posições políticas e aliados numa chapa que disputará a reeleição.

Ao final parece que tanta ingratidão deu resultado. Mailza poderá ser candidata a vice-governadora ou a senadora ao lado de Gladson Cameli. Se vencer não é difícil imaginar os próximos capítulos dessa novela acreana cheia de tapas, abraços, beijos, tramas e pequenas traições.

Caso seja reeleito, Gladson Cameli poderá sentir saudades de Major Rocha.